Sporting... sempre!

Esforço, dedicação, devoção e glória!

Wednesday, March 31, 2004

.

Pobre selecção – Parte II

Jogaram-se 20 minutos, pouco mais.
A esta selecção falta remarem todos para o mesmo lado.
Falta haver luta pelos lugares (o 11 da panelinha está todo lá...).
Falta treino específico, treino esse que diferencia as boas equipas das óptimas.
Falta humildade num seleccionador que teima em levar a sua avante.

Hoje sofreram-se dois golos de forma incrível.
Se no primeiro tudo adormeceu, e Vieri ainda ‘comeu’, para mim irregularmente, P.Ferreira, no segundo é incrível como não há ninguém nos postes! (e 10 minutos depois, novo canto, nova azelhice e por pouco não voltava a entrar...)
Nas opções, Rui Jorge e Petit terão sido poupados, mas as alternativas, foram falhadas. Se Beto ainda disfarçou e até se atreveu a rematar à baliza (e torto...), Boa Morte esteve em grande – criou uma avenida, fez um penalty descarado e ainda foi por ele que o canto ‘passou’...

Um aparte: porque razão não terá o seleccionador dado 5 minutos a Quim, guardião de Braga, do SCBraga, no estádio do Braga?!? Há coisas que eu não consigo compreender...

.

Pobre selecção vs comentadores divertidos


Fraca exibição, conjunto desligado, opções duvidosas no 11, falta de vontade de cair em cima de uns italianos que se atravessam em frente à defesa.
Sofrer um golo aos 30 segundos não lembra ao Diabo.

Para além de tudo isto, ainda tivemos que gramar os inacreditáveis comentadores do FCPorto na Champions a voltarem a dar um ar da sua graça. É impressionante a mediocridade destes dois senhores.
Aos 5 minutos já previam a derrota da selecção, e já procuravam 1001 justificações para tal.
A Portugal faltava meio mundo (Ronaldo, Tiago, Postiga, R.Costa, Bruno Alves, Makukula, Carlos Martins e afins...) e a Itália era poderosíssima porque tinha muitos jogadores do Parma, que mesmo a lutar pelo quarto lugar na Série A, só ‘levou’ 3 batatas à Sporting vindas dos poderosos turcos do Gençlerbirligi.
Triste mentalidade esta dos comentadores portugueses.
Como era a primeira vez que a selecção jogou em Melgaço, só faltou justificar a derrota com problemas na adaptação ao relvado!


Monday, March 29, 2004

.

Manuel Machado

O treinador do Moreirense, aquando do jogo da primeira volta contra o Sporting, mesmo aceitando que foi claramente favorecido, foi dizendo que aquele favorecimento vinha para colmatar antigos e futuros erros que fossem prejudiciais ao Moreirense.
Saberia já naquela altura que Martins dos Santos seria o árbitro do FCPorto – Moreirense?


.

As diferenças dos cobardes

Na rubrica “Nota do Editor” habitual no pasquim Record, no domingo foi possível ver que o próprio editor considerou que o resultado do Sporting-Paços foi falseado, devido a um golo irregular obtido perto do final! Sobre os outros erros durante o jogo nem uma palavra.
Hoje na mesma “Nota do Editor”, falou-se da boa atitude do Moreirense, do bom futebol dos verdes e do blá blá blá que dá jeito. Sobre a falsa falta que deu origem ao golo de Carlos Alberto, nem uma palavra.
Triste cobardia esta de uns quantos filhos da puta que preferem ser enrabados por um sistema, a desempenharem as suas funções honestamente.

.

Tudo na mesma

Ontem, FCPorto e benfica voltaram a vencer.
Na frente, tudo na mesma.
Na Luz, vitória fácil, muito pelo que o Alverca faz neste momento. A meu ver, este Alverca não terá grandes possibilidades de se manter na primeira divisão... e na próxima sexta, contra o também aflito Vitória, este Alverca poderá ‘comprar’ o bilhete para a segunda. A ver vamos.
Nas Antas, mais do mesmo.
Não me vou alongar em comentários, porque basta olhar para trás e ver o que tem acontecido toda a época.
Ontem, não ficou por marcar o penalty, não ficaram por marcar as intermináveis faltas para Deco, e até houve um presente para Carlos Alberto se ir adaptando. Bela falta, sim senhora.
E sem influência nenhuma no resultado, pois Mourinho garante que o FCPorto dominou, e até teve 15 oportunidades de golo.
E alguém diz alguma coisa? Não... pois o sistema não existe e este nem sequer foi o árbitro que em Moreira de Cónegos não assinalou o penalty sobre Silva no último minuto. Martins dos Santos continua a caminho da redenção. Os meus parabéns.

Sunday, March 28, 2004

.
Paço em Frente!!!

Ontem, em noite chuvosa, 20 mil fiéis voltaram a dizer presente ao sofrimento pelo seu clube.
Não se jogou muito mal, mas esteve longe de se jogar bem. Valeu o resultado. E os 3 pontos.

O golo
Mesmo sob pena de começar pelo fim, o lance do golo leonino, é em fora-de-jogo! Não me venham com tretas de que o lance é rápido, que está uns dois palmos è frente, porque um lance ou é fora-de-jogo ou não é! E este é claramente fora-de-jogo!
O fiscal de linha fica para a história deste campeonato como o primeiro a permitir um golo ao Sporting em fora-de-jogo. E melhor, arrisca-se a ser o único, o que prova que nem sempre se erra!

O jogo
O Sporting dominou sempre o jogo, o que não se estranha porque essa era a táctica pacense. Nunca jogou muito rápido, foi desperdiçando oportunidades e ainda deixou o Paços chegar 3 vezes com muito perigo à baliza. Valeu Beto, depois a azelhice de Pedrinha e finalmente os reflexos de Ricardo!
Ao longo do tempo foi encostando o Paços à sua baliza. Após a expulsão de Cadú a pressão intensificou-se. Depois foi Polga expulso e refrearam-se os ânimos. Mas o golo adivinhava-se e acabou por chegar por linhas tortas aos 87min em recarga oportuna de Liedson.

O árbitro
A arbitragem não se estranhou. Hoje, ainda Elmano Santos deve estar a pensar como o seu fiscal de linha destruiu tão habilidosa condução de jogo.
Nos registos principais fica um penalty incrível sobre Polga, em lance a 2 metros do árbitro. E a expulsão de Polga em lance em que o brasileiro tocou claramente na bola, tocando posteriormente com o pé esquerdo a perna do pacense. Saliente-se ainda que Polga fez 3 faltas em todo o jogo. Do outro lado, para além da agressão de José Manuel que passou em claro, o árbitro perdoou os segundos amarelos a Júnior e a Geraldo, que não chegaria ao final da primeira parte.
O árbitro conseguiu ainda o feito extraordinário de mostrar 4 amarelos em 2 minutos, já nos descontos.
Em resumo, muito bom disciplinarmente.

José Mota
Bem ao jeito dos clubes do norte que, nos últimos anos, são habitualmente privilegiados nas relações com o FCPorto (Vitória, Moreirense, Gil Vicente são outros exemplos onde até abundam os emprestados!), José Mota voltou a mostrar-se indignado porque o golo foi obtido fora-de-jogo. Pena que não tenha o mesmo discurso quando se sente prejudicado. Pena que Jorge Jesus e especialmente Manuel Machado não façam também o mesmo!
Mas claro que o sistema não existe!

Dias da Cunha
O presidente mostra-se cada vez mais despreocupado com o que diz, e só o futebol é que ganha!
Finalmente o Sporting parece querer deixar de fazer figura de anjinho, e na voz do Presidente tem posto a nú algumas evidências claras.
Desta vez ficou o aviso para o que se passou no Leixões-Estoril, e para o que este árbitro significa nos dois casos! (n.d.r. – O Estoril disputa o acesso à SuperLiga, é ‘dirigido’ por Veiga, que para o ano não desdenharia em comendar uma SAD que participasse no Champions!).
No final, disse, e bem, que os fora-de-jogo posicionais já não faziam parte das regras há muito! Basta voltar a ver como o Porto venceu o Boavista há 15 dias, e veremos o que o Presidente quis dizer!

Friday, March 26, 2004

.

Triste Fado


Finalmente mais do mesmo!
Quando todos nós portugueses nos começávamos a habituar a vitórias reais em detrimento das vitórias morais, muito por culpa do Porto, é certo, eis que ontem todos voltámos de novo à Terra!
Foi um jogo tipicamente à portuguesa, ao jeito do que teria acontecido se Costinha não tem feito justiça em Old Trafford frente ao UM.
Em poucas palavras, o benfica foi superior cá e lá, perdeu in extremis, e o lance não finalizado no cair do pano por Sokota foi a cereja no cimo do bolo! TRISTE FADO O PORTUGUÊS.

O início dos problemas

Embora agora seja muito fácil criticar, a verdade é que foi há 15 dias que o benfica começou a perder a eliminatória. É verdade que jogou em Milão o suficiente para fazer valer o 0-0 da primeira mão, mas com uma vitória cá, com os índices de confiança reforçados, não haveria defesa esburacada encarnada que valesse ao Inter.

O pobre Inter

É verdade que este Inter está longe de ser uma equipa de topo. O 6º lugar na Série A italiana comprova isso mesmo, e os 11 jogos seguidos sem vencer antes da recente vitória frente ao Ancona (último e sem vitórias no campeonato) só reforçam o que o Inter acabou por mostrar aos portugueses.
Possui alguns bons jogadores (Vieri, Recoba, Zanetti, Cannavaro, Meyde, e especialmente Toldo), mas como equipa é uma perfeita nulidade! Não pressiona, não troca a bola, nem transparecem jogadas de entendimento entre os diversos jogadores. O que valeu ao Inter foi a classe individual de alguns dos seus jogadores!

O meio benfica

Se a um ataque que marca 3 golos em San Siro não se pode pedir muito mais, o mesmo não se pode dizer da defesa do benfica. Mas aqui a culpa não foi só da defesa…

O problema chamado Camacho

Não tenho por hábito criticar o trabalho dos treinadores, porque no fim dos jogos é fácil apontar erros, mas ontem Camacho teve a sua culpa ao não ler o jogo do Inter e a sua intenção.
Se na primeira parte o inter foi mau de mais para ser verdade, já na segunda parte melhorou a olhos vistos, principalmente no ataque. Ora Camacho não percebeu as mudanças no Inter, e aí deixou Miguel ao ‘Deus dará’!
Embora a principal causa da derrota estivesse, a meu ver, no golo infantilmente sofrido no último minuto da 1ªparte, a verdade é que Camacho não percebeu que ‘Zacche’ trocou Gonzalez por Zanetti para fazer o flanco esquerdo, e depois juntou-lhes Chino Recoba, dando outra dimensão à ala esquerda.
Ora, dada tal situação, com o Inter a jogar com dois pontas de lança para dois centrais encarnados, Luisão não podia descurar Martins para valer a Miguel. A partir daí Miguel e o flanco direito passaram a ser uma via rápida para os ataques e contra-ataques nerazurri! Ficou feito o resultado.
Levar Petit (em grande esforço!) até à exaustão também me pareceu uma aposta duvidosa. Mas quem não tem cão caça com gato!

No final de contas

O benfica esteve globalmente bem nesta eliminatória e merecia a passagem, mas não demonstrou estaleca para passar. Mas a experiência internacional faz-se com vitórias e derrotas.
A campanha na Europa foi positiva e agora resta esperar pelo próximo ano.

Para reflectir

Em jornada curiosa ficaram pelo caminho Barcelona, Roma e Liverpool! E mesmo o agora favorito Valência só venceu a eliminatória frente ao ‘desconhecido’ Gençlerbirligi no prolongamento! O benfica terá perdido oportunidade de ouro para se mostrar na Uefa!

Thursday, March 25, 2004

.

De passeio


Na terça o FCPorto voltou aos passeios na Champions League. Depois de uma eliminatória difícil, mas justamente ultrapassada frente ao ManUtd, eis que um ‘poderoso’ OLyon se atravessou no caminho.
É verdade que a euforia inicial do sorteio poderia ter trazido dissabores, mas Mourinho, com o discurso certo, tratou de querer mostrar que os franceses eram óptimos e que até um empate era um bom resultado.
Dito e feito. O FCPorto jogou sem correr riscos (Mourinho sabia que os golos surgiriam mais cedo ou mais tarde...) e o OLyon nunca sequer assustou.
O jogo foi pouco espectacular, mas o calculismo dos azuis saiu premiado, e as meias-finais estão aí.
Depois do que se viu, deu a impressão que os franceses só chegaram a esta fase porque inexplicavelmente venceram em Munique, e tiveram na fase anterior uns espanhóis de San Sebastian, mergulhados nos últimos lugares da Liga Espanhola.
Pelo sim pelo não Mourinho continua com um discurso pouco inflamado, como que não dando por vencida a eliminatória. Na minha opinião faz muito bem, pois o seguro morreu de velho.


A ver vamos

Hoje é dia D em S.Siro, no afamado Giuseppe Meazza. Lá, o benfica tentará continuar nas nuvens. Não estou muito optimista, mas o problema deve ser porque já vi demasiados jogos dos encarnados esta época.
Quer continue ou não, é inegável a boa época europeia dos encarnados.

Monday, March 22, 2004

O Rio encheu!

Em primeiro lugar devo começar por dizer-vos que o autor deste blog goza de boa saúde, aliás, na mesma proporção do que acontecia no sábado durante a tarde!
Por motivos extraordinários não me pude deslocar a Vila do Conde, mesmo já com bilhete ‘comprado’, não pude, com muita pena minha revisitar o estádio dos Arcos.
Quanto ao jogo, que o Sporting perdeu por um expressivo 4-0, foi disputado, bem jogado, e interpretado por duas boas equipas, que quiseram jogar futebol.
Quem acompanha o Sporting semanalmente sabe tão bem como eu que este esteve longe de ser o pior jogo da época do Sporting.
Aos portistas e benfiquistas que aparecem nas horas más, devo apenas dizer-vos que a derrota de sábado não põe, nem poderia pôr, em causa a boa época que se vem fazendo e até as exibições aceitáveis que temos realizado.
E se não acreditam, consultem as primeiras partes dos jornais desportivos, verifiquem a classificação e constatem que continuamos 4 pontos à frente da ‘equipa maravilha – parte II’ e a ‘apenas’ 7 pontos dos auto-proclamados ‘galácticos’ cá do burgo!
Quanto à análise do jogo, tenho apenas pena que os analistas habituais apenas procurem mediatismo no que dizem. E se não, vamos a factos:
Aos 14 minutos, após um ressalto à entrada da área, Jaime isolou Paulo César. Estava descoberta a táctica do Rio Ave, depois de 14 minutos sem sequer chegar à área leonina.
3 minutos depois, Miguel Garcia em lance infeliz proporciona o primeiro golo dos vilacondenses. À táctica simples e extremamente bem interpretada pelos homens de Carlos Brito, o Sporting respondeu com o desacerto de Miguel Garcia. O resultado fazia sentir-se, mas não se esqueça que após o 2-0, Liedson falhou um golo sem GR na baliza, e no minuto seguinte ao 3-0, Barbosa enviou uma bola à barra. Não foi azar, foi azelhice. E quem não marca não pode ganhar!
A segunda parte voltou a ser dominado pelos leões e controlada pelo de Vila do Conde.
O mais caricato de tudo é que a táctica que o Rio Ave usou é exactamente a mesma que quase todos os clubes têm utilizado. O que só premeia ainda mais os jogadores de Vila do Conde.
Mais golo menos golo, o resultado foi justo e premiou a clarividência do Rio Ave e a excelente interpretação de jogo dos jogadores de Carlos Brito.
Realce-se que nem a boa equipa que é o Rio Ave, nem o facto de tudo sair bem aos de Vila do Conde justifica, no entanto, a derrota dos leões, ainda para mais por 4-0.
Mas os problemas do Sporting são exactamente os mesmos de há 6 meses!

O árbitro

É o melhor árbitro português. Pode não estar sempre bem, comete erros, está desfasado do futebol português, mas é dos poucos que procura beneficiar o futebol. De longe (Pedro Proença e Duarte Gomes que me desculpem…), o melhor árbitro português da actualidade!

As comparações

Acho engraçado que um leitor tenha vindo referir que a defesa do Sporting é pior que a do Benfica.
Eu apenas vos garanto que não trocaria Polga pelos 4 habituais titulares da defesa encarnada! E não é só pelo Polga, é essencialmente pelo que a defesa do Benfica mostra, jogo após jogo sem cessar!

O amor ao clube

No final do jogo de sábado estava triste, tal como estou sempre que o Sporting perde.
Mas o sorriso que me faz acompanhar sempre que vejo o Sporting, nunca desvanecerá!
Não vou poder ir visitar a minha cadeira em Alvalade frente ao Paços, mas estarei no municipal de braga daqui a quinze dias, quiçá para ver mais uma derrota do meu clube (tem sido assim há 3 anos…), mas o prazer que o Sporting me dá é bem maior que as tristezas que me proporciona!
Quando saí de Alvalade depois da derrota frente ao Gençlerbirligi, fiz o mesmo – pensei qual o próximo jogo em que poderia ir apoiar o meu Sporting!
Tenho pena que nem todos os adeptos do futebol estejam dispostos a dar mais do que o que recebem.

Sporting Sempre!

Saturday, March 20, 2004

.

17 anos depois...


Corria o ano de 1987 (se não me engano...) quando visitei pela primeira e última vez o estádio dos Arcos.
Lembro-me vagamente das filas de trânsito intermináveis que apenas me permitiram entrar no estádio 25 min depois do começo do jogo, quando o Sporting já vencia por 2-0. Para minha tristeza, para além de não ver o monumental golo de Negrete, ainda vi o Rio Ave conseguir empatar o jogo 2-2.
Ainda me recordo de ver o jogo em cima de um pequeno muro nas bancadas, e de à noite ver a enorme bandeira (3*4mtrs) do meu tio no resumo televisivo.
Era nesses momentos um petiz feliz!

Hoje vou lá voltar, com o mesmo sorriso de sempre!

Sporting Sempre!

Thursday, March 18, 2004

.

18 de Março de 1964


Há 40 anos escreveu-se uma página dourada do futebol leonino e de portugal.
Após um 1-4 em Old Trafford, e uma eliminação quase certa, 11 heróis ‘banharam’ os conceituados ingleses (alguns deles seriam dois anos mais tarde campeões mundiais!) por uns impensáveis 5-0!
Oswaldo Silva deu o mote, que todos os outros honraram!

Obrigado por nos orgulharem para sempre!

Sporting Sempre!

.

Claro que não!


Não! Claro que não! Ele nem passou perto da bola! Aquele jeito quando a bola passou foi uma picada na coxa! Claro que não influenciou a jogada e o golo! Claro que o benfica ganharia na mesma. Claro! Claro!

Wednesday, March 17, 2004

.
Uma paixão

Se há árbitro que teima em rivalizar com Paulo Paraty, pelo título de pior árbitro das Ligas Profissionais, ele é o recém internacional Bruno Paixão!
Aquando da sua passagem a internacional, uma das qualidades que lhe atribuíram era o domínio da Língua Inglesa! Honestamente não lhe descuro quaisquer outras!
Ao ler os jornais de hoje pude constatar que alguns jornalistas compreendem as más arbitragens de Bruno Paixão nos jogos do FCPorto por aquilo a que divertidamente chamam de “complexo de Campo Maior”.
Ora esta ideia é multiplamente injusta.

Primeiro porque deixa a entender que Bruno Paixão beneficia o FCPorto, o que não é nem correcto nem totalmente verdade!
Segundo porque dá a ideia que, quando não arbitra os jogos do FCPorto, consegue bons desempenhos. AHAHAHAHA!
Terceiro, porque parecem querer desculpar para todo o sempre, alguém que teve uma actuação desastrosa em Campo Maior, porque teve, com claro prejuízo para o FCPorto, dando como normal que agora esse mesmo árbitro tenha tendência em beneficiar o FCPorto, como que promovendo uma compensação!

Realce-se contudo que isto não serve para etiquetar a exibição de Bruno Paixão, ontem no velhinho 1º de Maio.
O árbitro não beneficiou o FCPorto (teve erros claros para os dois lados…). Como é habitual, teve erros para os dois lados, desprestigiou o futebol e teve a sorte de não influenciar o resultado. E os seus fiscais de linha não estiveram melhor!
O seu melhor é a sua postura arrogante e autoritária!

P.S.- Para os mais esquecidos, lembro que este foi o árbitro que prejudicou, e muito o FCPorto em 2000, num jogo contra o Campomaiorense, em que os alentejanos venceram por 1-0. Jardel foi obstruído vezes sem conta na área (mormente por José Soares) perante uma Paixão impávida e serena.
Nessa altura o campeonato estava ao rubro (entre Sporting e Porto!) e por tabela o favorecido também acabou por ser o Sporting… que dois anos mais tarde sentiria na pele a forma como os adversários prevaricavam em relação a Jardel, e passavam impunes!

Tuesday, March 16, 2004

.

Vou fazer de conta


Mais um fim de semana à portuguesa!
Hoje vou optar por não falar de arbitragens. Vou fazer de conta que elas estiveram bem. Que não influenciaram os jogos como têm sistematicamente vindo a influenciar. Vou tentar sonhar com um futebol o mais imparcial possível.

Vou fazer de conta que o livre que deu o golo do Porto era mesmo livre, que o lábio de Ali se abriu fruto do acaso, e que PFerreira não estava na trajectória da bola e que por isso em nada influenciou a jogada.
Vou fazer de conta que minutos depois a falta sobre Deco não era falta. Vou fazer de conta que a culpa no lance foi de Deco, pois não lembra a ninguém que um nº10 talentoso não tenha 90kg, suficientes para aguentar os encontrões dos defesas!

E vou fazer de conta que o Boavista joga futebol e não o contrário.

Vou fazer de conta que na Luz, Fernando agrediu mesmo o mais jovem candidato a estrela idiota! Vou fazer de conta que o árbitro auxiliar viu logo tudo e só não o evidenciou no momento para não beneficiar o infractor.
Vou fazer de conta que o benfica acabaria por ganhar, nem que para isso fosse preciso mais uma ou outra expulsão.
Vou fazer de conta que no final ninguém deu camisolas a ninguém, e que ninguém as recebeu. Vou fazer de conta que um sobrinho neto do fiscal de linha que expulsou indevidamente Fernando é doentinho de pequeno e tem como maior sonho na vida possuir uma camisola encarnada!

Vou fazer de conta que Gabriel não agrediu consecutivamente Lourenço e depois Liedson a 2 metros do fiscal de linha.
Vou fazer de conta que no minuto seguinte a entrada de Marco Almeida foi normal.
Vou fazer de conta que fiscal de linha viu uma pseudo-agressão clara num lance em que nem o jogador do Sporting reclama de nada! Talvez também quisesse um jersey verde e branco.

Vou fazer de conta que não gosto de futebol, porque não há nada mais corrupto que o próprio futebol. Vou fazer de conta que gostar de futebol não é irracional.
Vou fazer de conta que o Mundo é cor-de-rosa, às bolinhas azul cyan!

Wednesday, March 10, 2004

Mas porquê?

Não posso deixar de manifestar profundo desagrado pelo atestado de ignorância abrangente e analfabetização futebolística que o relatador do UM-Porto deu em quem viu o jogo no Canal1!
Já no recente Portugal-Inglaterra fiquei perfeitamente estupefacto com o relato altamente parcial, exagerado, bairrista e despropositado que nos foi oferecido nesse serão! Ontem, tive dúvidas se o relato não foi ainda pior!
E não me venham com o estórinha de que todos éramos portugueses e que ontem todos éramos portistas (eu continuei sportinguista…), porque isso não justifica tamanho desvairio de um relatador que pediu meças ao mais ferrenho e alcoolizado adepto portista!
Como se não bastasse as baboseiras continuadas, não resistiu a rebaixar a estima portuguesa e portista durante toda a segunda parte, falando 57 vezes em Maciel, Derlei e Conceição, como se o Porto precisasse de desculpas para a óptima exibição que estava a fazer! Quase parecia de propósito a imagem que o realizador mostrou de Rio Ferdinand aquando das lamúrias do relatador! Este preferiu não o reconhecer!
Como se não bastasse, o relatador manifestou uma enorme falta de bom senso (ou fair-play se preferirem….) ao criticar Cristiano Ronaldo aquando da queda deste. Até podia ser fita, até poderia não ser uma lesão condicionante, mas que raio de moral tem o relatador para se achar capaz de perceber se os jogadores se lesionam ou não sozinhos?!? E ainda pareceu indignado com a atitude louvável de Maniche em colocar a bola fora para o português ser assistido! Só lhe faltou ter criticado Maniche pelo fair-play demonstrado!
O pior veio depois, com a repetição do lance e o comprovado contacto, e a lesão impeditiva do jogador! O comentador que acompanhava o relatador tentou minimizar as declarações do colega, e este ainda se procurou desculpar! Vergonhoso!
Pelo menos teve o discernimento em comemorar vivamente o golo azul, e fê-lo bem!
A boa exibição portista não mereceu este discurso repetido de coitadinhos por parte do relatador! Se há coisa que os azuis não foram em Manchester foi coitadinhos!
E querem chamar a isto serviço público!

Mourinho teve uma cereja de presente!

Foi notório no discurso de Mourinho que as respostas às perguntas estavam preparadas! Até o discurso da vitória moral ( em caso de derrota…) estava preparado.
Mas os jornalistas, apostados em fazer da qualificação em Old Trafford uma vitória deslumbrante, meteórica e inesquecível, exageraram nas perguntas, puxaram pela humildade do treinador azul e branco e obtiveram… nada!
Fica o registo bonito do desejo da vitória encarnada frente ao Inter… e da reconciliação com Sir Alex Fergunson! Tenho dúvidas é que Fergunson merecesse!

Das muitas declarações realço as de Costinha que confessou a sua não colocação na barreira como inspiração divina (até onde irá o tentáculo, Deus meu… ), e as de Mourinho que disse entre outras belezas raras que nunca viu um GRedes português ser tão pouco importunado em Old Trafford (eu nunca vi sequer nenhum que não fosse GR do Porto… confesso…) e mais um espasmo de humildade, que já lhe é tão característico:

“Mesmo que um dia alguém volte a jogar assim aqui, vão concerteza lembrar-se que nós fomos os primeiros a consegui-lo!”

Ou seja, a Mourinho já não basta ser o melhor hoje, ontem, na época passada e provavelmente nos próximos tempos – ele já faz questão de ser visto no futuro como o pioneiro das grandes exibições dos PORTUGUESES no Mundo.
O que pensarão Travassos (lá em cima!) e Eusébio (cá em baixo!) disto?

Pinto da Costa

O Presidente não cabia em si de contente após a qualificação! Foi justa e mereceu de facto ser comemorada! Pena que mais uma vez os jornalistas não tenham ajudado e tenham interpelado o presidente azul sobre a arbitragem.
Inevitavelmente, o presidente não conseguiu aceitar o golo mal anulado ao ManUtd, e a falta claramente inexistente sobre João Kauskas que precedeu o golo azul, e preferiu optar por dar os parabéns ao árbitro por este não se deixar intimidar pelo ambiente!
Foi mais uma oportunidade que o presidente perdeu em se mostrar elegante nas vitórias, pois mesmo com estes erros, ninguém pode retirar o mérito à exibição portista, que nunca se deu por vencida! Seria tão fácil dizer que mesmo com 2-0 o Porto iria para cima do ManUtd e ganharia a eliminatória!!!
Assim, só foi pena o jogo ter sido transmitido na TV!

Tuesday, March 09, 2004

Venham outros!

Honestamente, o empate pareceu-me mais do que justo! O ManUtd joga muito pouco para vencer o Porto apenas pelo nome das camisolas. E hoje voltou a mostrar pouco, muito pouco para quem tinha pela frente uma equipa motivada, esforçada e capaz de se bater em qualquer lado!
E nem o primeiro golo marcado ainda na primeira parte desculpa o recuo até à área, como que a pedir um golo!
O Porto fez a vontade ao ManUtd, jogou como é costume e passou a eliminatória com todo o mérito!
No ManUtd falta um pouco de tudo, até de treinador, mas isto é só a minha opinião.
No Porto há que dar mérito ao esforço final e à postura sempre correcta durante o jogo.
Parabéns ao Porto e aos seus adeptos. Daqui mando um abraço especial ao Tiago que por certo passou uma das melhores noites da sua vida!


P.S.- Espero que Mourinho evite pedir a repetição do jogo por causa do golo mal anulado ao ManUtd nos minutos finais da primeira parte. Wenger não lhe levará a mal! E de mim levará apenas um sorriso...

Sunday, March 07, 2004

.

No Mário Duarte


Ao contrário de Avelino Ferreira Torres, esse novo ícone da política futeboleira cá do burgo, ontem visitei um dos novos estádios para o Euro 2004.
O Sporting foi pretexto, mas o novo estádio foi de longe o que de melhor vi numa noite de futebol pobrezinha.
Bem bonito o estádio, diga-se. Perde por ser ligeiramente parecido com o Alvalade XXI, e assim ter muita gente que dele não gostará porquê... não!
O jogo até começou bem, Duarte Gomes cometeu o sacrilégio de marcar uma grande penalidade a favor do Sporting e sobre... Liedson (que só por acaso se isolava na cara do GRedes, já dentro da área e em zona frontal...), e em lance de classe de Tello, rapidamente se resolveu o jogo. O resto foi um Sporting q.b. a roçar o sofrível e um Beira Mar longe do que mostrou em Alvalade na primeira volta.
Dado o acto corajoso de Duarte Gomes logo no inicio, vou evitar falar do critério nas faltas durante toda a segunda parte, porque o Duarte até é um dos bons árbitros nacionais, mesmo sendo adepto do grorioso! Não se pode ser bom em tudo.

Saturday, March 06, 2004

.

Inenarrável


Ontem, no Dragão voltou a haver futebol. Ou muito perto disso.
A superioridade futebolística do FCPorto é inegável. Aliás, o futebol das duas equipas nem se compara. Estranha-se portanto porque é que o FCPorto teve tantas dificuldades em marcar o primeiro golo e em segurar Antchouet.
Paulo Baptista, provavelmente sportinguista de pequenino e com um fraquinho pelo benfica... resolveu os problemas.
O critério disciplinar na primeira parte foi verdadeiramente inacreditável. Às faltas duras de PMendes, Costinha e a duas de JCosta que impediram Antchouet de se isolar embora de forma lateral, o árbitro respondeu com avisos. Às de Filgueira e de Hélder Rosário o árbitro respondeu e bem com dois amarelos. Tudo isto em 15 minutos.
À simulação de Conceição (que não tem nada do ‘enganador’ de Mourinho...) o árbitro respondeu com um ‘não-amarelo’!
Depois nos descontos do primeiro tempo apareceu o golo, em clara falta de McCarthy, a 3 metros do árbitro. Talvez não tenha visto.
Do penalty da segunda parte nem vale a pena comentar. Foi a segunda cena de Conceição, pelos vistos decidido a impressionar José Valenstein! Fica-lhe o mérito (reconhecido até por Inácio...) de no final ter pedido desculpas a Wilson. Enganador (segundo Mourinho...) mas pelo menos educado, o que só lhe fica bem.
Desta arbitragem fica a ideia clara de que o sistema não existe e não passa de um sonho que ajuda alguns a desculpar maus resultados.
Deixem-me rir.

Tuesday, March 02, 2004

.

Para o Major

Novo fim de semana, mas sem declarações do Major Graçolas.
Depois de ter visto o sistema do FCPorto a ganhar de forma impecável na Champions, este fim de semana o Major não terá tido tempo para ver o Boavista no Restelo. Foi uma pena!
Foi uma pena não poder ver o Major dizer que o sistema do Boavista são os empates conseguidos da forma que foi este. E ainda tivemos tempo para ver Sanchez dizer que Viveros foi mal expulso (a falta ‘só’ foi clara e impediu um jogador de caminhar isolado para a baliza...). A expulsão em lance na primeira parte sobre Antchouet (e livre em cima da área!), essa não viu nem Sanchez, nem o Major ou tão pouco o filho do Major!

.

Fraquinhos

Fim de semana atípico de futebol. Um espelho do futebol português.
O Sporting cumpriu obrigação no sábado, jogando à Porto de Mourinho (“Ganhámos mas sem fazer uma exebição muito conseguida...”), e ganhando. A primeira parte foi má demais para ser verdade. Valeu o recuo do Marítimo, e o facto de jogarmos com 11 depois da saída de Silva ao intervalo. Mesmo assim, pelo que fez na primeira parte, o empate não seria de espantar para o Marítimo...
No domingo, viu-se de novo um benfica à benfica, cada vez mais um benfica de tiros nos pés, a jogar ao melhor nível do Sporting (marca um golito e deixa de atacar...), com Hélder de novo em evidência. Camacho lá terá as suas razões...
Na segunda foi dia de mais uma vitória do FCPorto. Nada de novo. Vitória, exibição medíocre quando comparada com o luxo da Champions League, e um golo caído dos céus numa falta bem assinalada na mesma proporção em que ficaram 3 ou 4 por assinalar a lances aéreos junto à área azul e branca. E as faixas continuam de azul bem vivo!