Sporting... sempre!

Esforço, dedicação, devoção e glória!

Sunday, June 27, 2004

.

O Euro já está nas meias-finais!


Portugal-Holanda e Grécia-Rep.Checa são os espectáculos que se seguem.

Portugal, da mesma forma que a Rep.Checa chega a esta fase com inteiro mérito.
De Portugal está tudo dito – temos equipa, temos grupo e acima de tudo um espírito de união, na selecção e no país, de que não haverá porventura memória.
A Rep.Checa é a equipa que melhor se exibiu ao longo de todo o torneio. Tem uma equipa curta (apenas Heinz é um substituto à altura...), mas os que jogam fazem-no muito bem, e o seu ataque joga de olhos fechados, municiados por um Nedved soberbo! E depois o seu ataque complementa-se como nenhum outro, com Milan Baros a ser um grande candidato a revelação do Europeu, a par de outros grandes nomes como Rooney, Carvalho, Maniche ou Ronaldo!

A Grécia é a equipa mais perigosa deste Euro. A forma como bateu os bleus foi a mesma que usou com Portugal, e que por pouco não deu resultados com nuestros hermanos.
Desejo sinceramente que seja eliminada, e que deixe a final para quem quer jogar futebol e não pensa exclusivamente num eterno 0-0.

A Holanda é um grande naipe de jogadores, mas com muito pouco de selecção. Minada no seu interior por um Kluivert em ruptura com um Advocaat em brasas, esta Holanda não consegue fazer render no colectivo a soma dos seus valores individuais.
Robben é uma boa surpresa, Nistelrooij de um valor inegável e Van der Meyde tem um futuro risonho, mas será no meio-campo formado por Seedorf-Davids (dois da ala-Kluivert!) e protegido por Cocu que poderá vir a diferença...
Oxalá Cocu não recupere fisicamente e que a dupla de paramaribo não se encontre.

Estou, de facto, optimista!
Força Portugal.

Saturday, June 26, 2004

.

Este Euro já é uma vitória!


Podemos até ficar pelas meias-finais que ninguém nos tira algumas vitórias, muito importantes, já conseguidas!
Ganhámos acima de tudo uma equipa! E ganhámos uma equipa apoiada desenfreadamente por todos os portugueses! E temos equipa uma equipa que se arrisca a um grande futuro, sem ter que descurar o presente!
Frente a Inglaterra, a superioridade foi tanta que foi quase uma vergonha não termos arrumado a questão em 90 minutos.
Mas há males que vêm por bem – a desvantagem inicial potenciou Postiga, o prolongamento ressuscitou Rui Costa... e os penalties mostraram o verdadeiro Ricardo, que com uma confiança tremenda selou um triunfo de todos e para todos!

Sunday, June 20, 2004

.

Dia de S.Futebol


Contra a Espanha...
... não vai ser fácil ganhar! Não pelos espanhóis, porque não têm melhor equipa que nós, mas porque temos que vencer muita coisa para marcarmos mais golos que ‘nuestros hermanos’!
Teremos que vencer a imprensa, a pressão, e até um Anders Frisk inteligentemente pressionado por espanhóis que sabem a cantiga de cor e salteado!
A ver vamos se Scolari ajuda, e se recorda que PFerreira é bem melhor que Miguel, e que jogar sem Ronaldo é dar descanso ao defesa direito adversário durante muitos minutos! E já agora, porque não dar descanso à ‘pata morta’ que dá pelo nome de Pauleta, e colocar Petit a varrer o meio-campo?
Se eu fosse Scolari, Saez ficaria sem ponta de lança para marcar, e com Raúl e Morientes (Torres) a quilómetros de Albelda e Baraja (Alonso), fruto de uma forte linha média...
Comigo seria assim:
Ricardo; PFerreira, Carvalho, Andrade e Valente (ou Rui Jorge); Petit, Costinha, Maniche; Figo Deco e Ronaldo!

Jogue quem jogar... até os comemos!

Friday, June 18, 2004

Estrela de campeão...

... ou um lobby pró-gaulês que já começa a ser um habitué?


A França é inegavelmente um óptima selecção! Tem 14 ou 15 jogadores do melhor que há na Europa! Tem uma mentalidade de vitória e uma experiência doseada com juventude muito boas, mas a verdade é que continua a ser levada ao colo pelas arbitragens que teimam em não resistir aos encantos desse verdadeiro mestre que dá pelo nome de Zizou!
Depois de Silvestre não ser expulso contra a Inglaterra (se Rooney não estava isolado na cara de Barthez, então o que é estar isolado?), contra a Croácia a França voltou a jogar empurrada por um árbitro que marcou todos os contactos possíveis e imaginários sobre os criativos franceses! Daí resultou um livre inexplicavelmente mal assinalado sobre Zizou que daria origem ao sortudo primeiro golo!
Mas a Croácia deu a volta, e o árbitro voltou a servir o empate de bandeja aos franceses, deixando Trazeguet marcar um golo depois de controlar a bola claramente com a mão! Mas o árbitro não viu... ou não quis ver...
E assim, o dream team está quase apurado, e a Croácia vê-se na obrigatoriedade de bater os ingleses, naquele que será, depois do Portugal-Espanha, outro grande jogo de futebol...

.

Um problema chamado ‘panelinha’...


Quando acabou a campanha do último Mundial, Jorge Costa, Paulo Bento e Pedro Barbosa divulgaram publicamente a sua intenção de abandonar a selecção. Quando começou a campanha para o Europeu, Scolari, ficou com 5 vacas sagradas para lidar – Figo, Rui Costa, Fernando Couto, João Pinto e Baía.
Optou, e na minha opinião bem por nunca convocar JVP e Baía. Não sendo jogadores que reuniam condições óbvias para serem titulares, nenhum dos dois fazia muito sentido no banco.
Mas ao contrário de JVP que sofreu na pele a atitude irreflectida do jogo contra a Coreia, e foi baixando de rendimento de forma gradual, Baía começou a ser um esteio de um FCPorto que num piscar de olhos se tornaria bicampeão português, vencedor da Uefa e até... campeão europeu! Estava lançada a polémica, a quem fez o favor de se juntar Moreira, sob a alçada de 6 milhões de adeptos desejosos de uma espinha dorsal na selecção! Ricardo estava agora sob pressão e respondia com exibições menos conseguidas...
No meio campo, Rui Costa continuava a ser o nº10 de 6 milhões de portugueses, que ignoravam (ou queriam ignorar...) que o tempo de Rui Costa já lá vai (veja-se a sua eterna condição de suplente no Milan!) e que Portugal tem em Deco o playmaker de futuro! Deco, sensivelmente a partir de janeiro, fez questão de mostrar a todos que é um dos melhores nº10 da Europa, acabou a época em grande forma, fez, segundo a imprensa, óptimos treinos antes do Euro e, mesmo assim, começou a competição do banco!
A ‘panelinha’ termina com Figo. Mas aqui a diferença está no que Figo ainda faz. Figo é, na minha opinião o único que ainda reúne condições para jogar com frequência na selecção. Não tem a velocidade de outrora, mas continua a ser um fora-de-serie a aproveitar na selecção.
Contra a Rússia finalmente o avô Couto cedeu o trono ao melhor central português, que tem todas as hipóteses de fazer com Andrade uma óptima dupla para os próximos anos... finalmente Rui Costa cedeu a ‘camisola 10’... já só falta Scolari não se esquecer que não colocar Ronaldo no 11 é um desperdício...

Força Portugal!


Portugal dos pequeninos

O jogo frente aos gregos foi um mar de equívocos! Se dúvidas houvessem, o jogo contra a Rússia dissipou-as...
Agora é curioso perceber a tal união de grupo tão forte! Tudo não passou de uma máscara de protecção de um grupo que já sentia na altura que não jogariam sempre os mais fortes...
E pior ainda, mesmo com as derrotas, continuam a não jogar os melhores... não se percebendo muito bem porquê...

Saturday, June 05, 2004

.

Como o preto vira branco em duas penadas


Todos sabemos que o espaço de manobra de FSantos no Sporting era reduzido. Os próprios jogadores já o deveriam ter comunicado à SAD, pelo menos a avaliar pelo teor do comunicado da SAD.
Grande parte da imprensa escrita e falada nunca esteve ao lado de Fernando Santos. Para a grande parte dos ‘analistas’ o Sporting de Santos nunca sequer importunou o FCPorto, mesmo a 5 pontos antes do clássico, e com 10 vitórias consecutivas na bagagem!
Com o acabar de campeonato em perda, as críticas agravaram-se. As arbitragens, a falta de Custódio, JVP, Rochemback, ou a vinda de uma lesão de Niculae nunca foram pontos a favor de Santos! Foi sempre mais importante ter falhado a contratação de Silva ou de Mário Sérgio!
Uma das vozes mais críticas de Santos e do Sporting foi António Tavares Teles. Independentemente do seu portismo, a sua opinião sobre Santos foi sempre a pior. Tudo o que acontecia de bom no Sporting era culpa de Rochemback, um fora-de-série que inexplicavelmente não tinha lugar no Barcelona, e de um avançado desconhecido e irrequieto que dava a pelo nome de Liedson (mais tarde passou a ser apenas um simulador... )! Tudo o que de mal ia acontecendo era culpa de FSantos – primeiro não havia táctica, depois não se percebia Mário Sérgio, depois era Lourenço, a espaços vinha o blá blá de que Silva não tinha classe para jogar no Sporting, etc. E sempre a mesma ladainha de que “Fernando Santos foi o único que em Portugal perdeu um campeonato com Jardel a 100%!”. Para este jornaleiro, Fernando Santos não tinha condições de treinar o Sporting desde Setembro do ano passado.

Mas de repente o branco virou preto, e de uma penada Fernando Santos passou a ser o técnico certo, no clube certo, à hora certa! E com todas as condições de acabar o contrato.
Seguiram-se cobras e lagartos de uma SAD que ‘só’ ofereceu de livre vontade a possibilidade a Santos de se ir embora com todo o dinheiro a que tinha direito e de comum acordo!
Agora Santos já é um grande homem e um grande treinador! Antes era só o treinador do Sporting...

Para variar, Peseiro é já um mar de dúvidas, um tiro no escuro, uma aposta arriscada da SAD que pelos vistos só tem cometido erros, como foi possível ver este ano com Polga, Ricardo, Liedson, Tinga e Rochemback, que juntos não custaram ao Sporting 1 milhão de contos, e que hoje são a espinha do 11 leonino!

Pena que Tavares Teles não tenha um pingo de coerência, mesmo quando fala do seu Porto.

Fernando Santos

A saída de Fernando Santos do Sporting teve contornos surreais!
Fernando Santos sempre teve um comportamento exemplar como pessoa, quer no FCPorto, sempre muito elogiado por Pinto da Costa, quer no Sporting, onde manteve sempre boas relações com a administração da SAD.
No Sporting perdeu a oportunidade de sair pela porta grande, com a imagem de grande homem imaculada, e com o mercado interno de portas abertas. A troco da certeza do seu trabalho (que por certo existiu!), e com a inusitada negação da falta evidente de resultados, preferiu levar até ao fim a vontade de continuar mais um ano no comando técnico dos leões.
Hoje já deve ter percebido que não o deveria ter feito.
Durante vários dias considerei que a postura da SAD do Sporting não estava a ser a mais correcta – mas enganei-me. Se a SAD, ao não chegar a acordo para a rescisão do técnico, lhe ofereceu o valor total de salários a que o técnico terá direito, como foi revelado num comunicado escrito e não foi desmentido por Fernando Santos, então, nada mais a SAD poderia fazer.
Embora concorde que os contratos devem ser cumpridos, o futebol não se rege por esses princípios. Se a SAD achou por bem prescindir dos serviços do técnico, então que pague a indemnização, porque o Sporting não pode esperar por um treinador durante um ano à espera que contratos acabem!