Sporting... sempre!

Esforço, dedicação, devoção e glória!

Monday, August 29, 2005

.
Liga Betandwin.com – Jornada 2


Naval 2 - 3 FCPorto

Na Figueira da Foz o FCPorto deu continuidade ao amealhar de pontos na Liga, mas voltou a faltar o futebol espectáculo que o seu treinador (e meia comunidade jornalística!) apregoa!
Os rapazes da Naval deram boa luta, e dignificaram a vitória, justa, dos azuis.
Uma nota final para a descoberta de um novo ‘talento’ na ala esquerda da defesa (um hat-trick é sempre de salientar!) que passará a ser novo cavalo de batalha de Pinto da Costa para incomodar Scolari. E não se esqueçam que Meireles é já a seguir, é já a seguir…

Benfica 0 – 2 Gil Vicente

Fui uma derrota injusta. Pode-se injectivar muito sobre problemas do Benfica (e não serão poucos!), mas o Benfica, a despeito da finalização, fez mais do que suficiente para levar de vencida um pobre Gil Vicente, que pouco mais fez do que o seu jogo, defendendo e tentando enervar, ainda mais, o adversário.
Para adensar a situação, Rui Costa fez questão de fazer uma arbitragem risível. O penalty sobre Simão é óbvio, o amarelo a Rocha evidente, o penalty sobre Nuno Gomes patético e as reclamações de Petit bem audíveis na TV!
No lance de Carlitos sobre Rocha a entrada é dura, mas não me pareceu propositada. No lance de Geovanni, há contacto, mas o facto de Geovanni dar 2 passos antes de se deixar cair terá iludido o árbitro.

Em resumo todos esperamos agora que a imprensa também promova um questão nacional para dar 15 dias de descanso a Rui Costa…


Marítimo 1 – 2 SportingCP

Boa exibição do Sporting na Madeira, a roçar o surpreendente!
Embora o 11 tenha sido o previsível, e a meu ver o mais indicado, o Sporting voltou ao futebol que tinha exibido frente à Udinese em Alvalade, desta vez com um pouco mais de felicidade na hora do remate.
O Sporting ficou a dever a si próprio (e a Douala!) mais uns golos. É enervante ver um jogador com as características naturais do camaronês não saber fazer uma desmarcação de um companheiro, uma recepção de bola ou um cruzamento, ainda para mais quando se dá ao luxo de falhar golos de baliza aberta!
Finalmente Liedson marcou os golos que o jornal Record não se cansou de pedir! Ainda hoje a publicação (cuja qualidade tem descido a pique…) referir que o goleador esteve 6 jogos sem marcar, quando neste 6 jogos foram mencionados os realizados em Braga e na Luz, onde o brasileiro nem sequer equipou! E foram, segundo os experts, mais de 4 meses sem facturar, mesmo que para isso contribuam 3 meses sem jogos oficiais!!! Patético…


No restante da jornada voltou a não se jogar grande futebol, e nem o Braga destoou, dando-se ao luxo de jogar 45 minutos em casa frente ao Penafiel sem sequer rematar à baliza!
O Vitória começa a cavar um buraco e o derby frente aos bracarenses será escaldante! Os próximos adversários serão o Braga, Belenenses, Marítimo e Benfica… não será fácil!
Numa observação simples é fácil prever que Estrela, Penafiel, Setúbal, Naval, Leiria e Paços discutirão quem vai descer! Gil e Rio Ave são as surpresas, e talvez comecem a garantir alguma tranquilidade…

Wednesday, August 24, 2005

Champions League – Pré-eliminatória

Udinese 3 – 2 SportingCP

O Sporting foi ontem eliminado da Champions League pela Udinese, 4º classificado do último Cálcio, ao perder novamente pela margem mínima, no Friuli, em Udine.

Lamentações

É preciso ter azar para numa mesma eliminatória europeia, dois árbitros, nos dois jogos assinalarem incorrectamente duas grandes penalidades nos primeiros 20 minutos! E esta em Udine roça o ridículo!

Aos 13 minutos, Ricardo, com um voo felino tirou o golo da bota de Di Natale. Minutos depois voltou a estar infeliz, com novo frango. Curiosamente nunca mais voltou a ser chamado a fazer uma defesa em todo o jogo…

Nos dois encontros o Sporting dispôs de 3 livres frontais, situação em que é pretensamente especialista! Em cinco das ocasiões De Sanctis esteve melhor, e na única em que ficou preso ao relvado, Edson acertou no poste, para o depois o árbitro mandar repetir!

Pinilla terá entrado tarde, mas se tivesse marcado 2 minutinhos antes, os italianos iam acabar o jogo de credo na boca…

Ilações

O Sporting voltou a estar muito fraquinho.
Entrou mal, continuou mal, e acabou mal (o lance de Douala foi apenas um engano!).
Na segunda parte, entrou a prometer, jogou sempre no meio-campo adversário, mas ficou sempre a certeza que jogou o que a Udinese deixou! E ficou sempre a sensação de que o golo que iria aparecer seria o dos italianos e não o empate.
Embora perceba a equipa inicial de Peseiro, não percebi nunca a colocação de Loureiro, um trinco adaptado a central que andou sempre perdido no terreno. Sá Pinto nunca se encontrou, ficando a ideia de que deveria abrir a ala direita e nunca o fez…
Embora aceite que a Udinese seja especialista em contra-ataque, e para isso basta ver que a linha média lança os contra-ataques sem sequer olhar para os avançados (o que mostra bem como o contra-ataque está enraizado na equipa…), será normal que o Sporting permita 7 ou 8 lances (3 ou 4 foram mal anulados pelo árbitro!) em que o adversário aparece isolado? Não me parece.
O Sporting perdeu no acesso à Champions com uma equipa de valor apenas mediano! Os italianos não são maus, mas estão longe de ser de primeira linha europeia. Se o resultado foram duas derrotas, independentemente da conjectura, não me parece que o Sporting tenha que lamentar a ida apenas à Uefa! Talvez tenha sido o mais justo para esta equipa, que ainda não tem nível para lutar por uma boa classificação na Champions.

Monday, August 22, 2005

.
Liga Betandwin.com - Jornada 1

SportingCP 2 – 1 Belenenses

Jogo fraco, muito fraco. Desilusão de um Sporting medíocre que esteve bem pior que frente à Udinese, e não menor desilusão de um Belenenses que teve o condão de conseguir perder o jogo de forma natural, não fazendo um remate à baliza depois do segundo golo do Sporting!
O Sporting entrou bem, e a parecer querer resolver rápido a questão. Rochemback, de livre directo, quase promoveu o primeiro frango de Aurélio (ficaria para mais tarde…). Mas ainda a meio da primeira parte Tonel, incrivelmente nervoso durante toda a primeira parte, deu uma fífia monumental, deixando Meyong sozinho, para este se assustar com Ricardo e nem na baliza acertar!
No último quarto de hora da primeira parte o Sporting volta a carregar, embora sempre a passo de caracol, e acaba por chegar ao golo, num belo remate de Rogério, mas convenhamos que Aurélio ajudou à foto, sendo muito pato na forma como deixou a bola entrar.
Na segunda parte o Sporting já entrou a pensar em Udine, e Ricardo na morte da bezerra! A remate inofensivo de Pinheiro, frangalhão de Ricardo – mesmo com a bola a bater à sua frente, o lance era demasiado fácil para não ser defendido!
Mas Aurélio quis vencer no duelo com Ricardo, e logo depois obrigou o “deslocado” Deivid a marcar. Infeliz, talvez, mas com a experiência de Aurélio, socar a bola contra um avançado é inaceitável, até porque pouco depois fez o mesmo, e Moutinho não marcou por pouco!
Quanto ao Belenenses, a única oportunidade na segunda parte apareceu logo depois do golo, ainda antes do 2-1, mas o desastrado Januário desperdiçou. Até ao final do jogo, os pastéis nunca mais remataram à baliza.
No final o Sporting venceu um jogo fraquinho.

Mau ensaio para Udine, embora vencer seja sempre bom.


Academica 0 – 0 SLBenfica

Jogo fraco, muito fraco, fraco demais. Que pobreza.
Se este Benfica não arranja meia-dúzia de reforços, não sei o que acontecerá! E jogar na Champions não vai ajudar nada.
Realço ainda o critério disciplinar do já famoso Paixão. Li em vários locais que o critério prejudicou o Benfica, porque Dionattan poderia ter sido expulso e não foi, e João Pereira foi-o e poderia não o ter sido! Ora bem, se Paixão conseguiu não expulsar Beto, que fez pelo menos duas faltas claras para amarelo antes mesmo de ver o amarelo, como é que se pode falar em “critério”? E não se esqueçam que Dionattan, ao ver o primeiro amarelo, poderia já não ter feito a falta do segundo, e que a falta de João Pereira mereceu o amarelo pelo perigo que a jogada incluía e não pela gravidade da falta! Pena é que o jovem corra agora o risco de não defrontar o Sporting… isso é que é pena!


P.S.- Koeman encostou o Manélélé! Ora bem, Veiga bem avisou que Beto e Karyaka iam ser reforços, a bem ou mal, é o que parece!


FCPorto 1 – 0 Amadora

Jogo fraco. Menos fraco, mas fraco! A primeira parte então…
Se isto é o futebol espectáculo que o novo mágico Co Adriaanse prometeu, então nem quero pensar quando o holandês prometer um mau jogo.
E não se pode esquecer que o adversário dava pelo nome de Amadora, e que praticamente não fez um lance de perigo em todo o jogo, fazendo passar despercebidas as qualidades defensivas de Sonkaya, Peixoto e restantes companheiros.



No restante da jornada, realce para a vitória a ferros da Naval (acabou com 8…), para a desilusão de quase todo o futebol praticado na nova Liga Betandwin, e para a forma curiosa como o Braga venceu em Leiria – há um lance logo no início que deveria redundar na expulsão de Nunes, poucos minutos depois, e após uma mão clara não sancionada do mesmo Nunes, o Braga chega à vantagem, e depois mostra claríssima superioridade sobre o adversário, devendo a si (e ao muito fraco João Tomás…) um resultado tão curto!

Friday, August 19, 2005

.
Hilariante!!!

O já famoso caso Miguel terá tido ontem o seu final! O próprio jogador convocou a imprensa para um comunicado, e deu conta do que lhe ia na alma! Perante a estupefacção de quem assistia e via P.Barbosa mesmo ali ao lado foram lidas frases hilariantes. Entre os melhores momentos, a referência nefasta a P.Barbosa (ali presente!!), ao ‘especialista’ D.Ferreira, e as mais ‘sinceras’ desculpas, não ao Benfica clube, não ao Benfica massa associativa, mas ao Benfica Presidente do Conselho de Administração.
Rapidamente se percebia que toda aquela palhaçada serviria apenas para levantar o ego a LFVieira, e que as palavras do Presidente aos jornalistas momentos antes (“gravem tudo que vai ser muito bonito…”) tinham razão de ser!


Impávido e sereno, P.Barbosa assistia ao engolir de sapo do jovem Miguel. Adivinhava-se a carta na manga…

3 minutos e meio depois da farsa, Miguel, já fora do Sindicato, começava a dar o dito por não dito, afirmando que o comunicado lhe tinha sido cedido e aconselhado pelas partes envolvidas para que o acordo com o valência se concluísse.
Em segundos passa a palavra ao anteriormente malvado Barbosa, que puxa as orelhas a LFVieira, desdizendo até o presidente ao afirmar que todo o acordo com o Valência foi conseguido por ele próprio e apenas porque Miguel fez sempre questão de ressarcir o Benfica!
As referências ao faccismo (de Vieira) foram apenas a cereja em cima do bolo!

Provavelmente já em casa, era agora a vez de Vieira engolir o seu sapo!

A história acaba mal para ambos os lados.
O Benfica ‘perde’ 4 milhões de euros no negócio, e vê Miguel safar-se com o contrato da sua vida. Fica talvez para a próxima o tal exemplo que Vieira que prometeu dar!
O presidente Vieira volta a cair no ridículo, dando azo a uma encenação dispensável, como se os milhões de benfiquistas tivessem talas na face e fossem incapazes de tirar conclusões por eles próprios.
Já o jogador Miguel desceu muito baixo ao aceitar entrar na palhaçada, tudo a troco de dinheiro, e a sua ingratidão dificilmente será esquecida. É uma pena que tantas qualidades futebolísticas estejam de mão dada com tão poucas qualidades humanas.

Thursday, August 18, 2005

.
Valente vs Figo

Há cerca de 1 ano, Figo, estrela maior da nossa selecção saiu-se com um “Até já!” para os portugueses.
Crente na qualificação clara da nossa selecção, evitou um ano de jogos a sério, um ano de preocupações, sabendo que quando voltasse lá estariam a camisola e o luar cativo! E quem também sairia favorecido seria o Real Madrid, onde o jogador poderia explanar todo o seu futebol!
Ora bem, como o senhor Luxemburgo não morreu de amores e indicou o banco ao “10”, Figo até regressou mais cedo, a tempo de ainda ficar ligado à vitória (essencial) sobre a Eslováquia na Luz.
A tudo isto Portugal aplaudiu!

Enquanto isto, nas Antas, ou melhor, no departamento médico das Antas, morava o único defesa esquerdo de qualidade da selecção - Valente.
Patriótico, e sem a popularidade de Figo, Valente não arriscou o descanso de uma época inteira. O sonho do Mundial 2006 é mais que justificado, e Valente bem o merece.
Ao contrário da estrela madrilista (agora interista!), Valente deu o corpo ao manifesto e, por azar, lesionou-se ao serviço da selecção. Foram 5 meses de recuperação e uma época perdida no FCPorto.
Pinto da Costa, atento ao regresso de Figo, avisou desde logo Valente que pelo menos nos jogos a sério este teria que rejeitar a selecção.
Para o FCPorto, Valente até poderá vir a jogar novamente na selecção, mas só lá para 2006, quando os encontros forem a brincar e ele provavelmente jogar uns 45 minutos sem ter que meter o pé! Aí, dado o reconhecimento aos jogadores seleccionáveis, Pinto da Costa até agradecerá, mas até lá, ou Porto ou Selecção.

Madaíl, defensor-mor de Figo na selecção (basta ler as declarações ridículas anti-Madrid!), pôs a mão na consciência e quer ajudar a resolver o problema. Menos mal.
Resta saber se Valente vai, mesmo assim querer continuar a equipar de azul…


P.S. – O regresso de Zidane (e Thuram ou outros…) tiveram todos o mesmo espaço temporal! Figo foi igual. Os mesmos que apoiaram unilateralmente Figo (e a pressão óbvia do Real!) são os mesmos que pedem a Pinto da Costa para ter vergonha na cara, só porque este teima em defender os interesses do FCPorto acima de tudo e de todos!

Tuesday, August 16, 2005

Supertaça

Vit. Setúbal 0 – 1 SLBenfica

Aí vai um excerto de declarações bem recentes que ilustra na perfeição o jogo de ontem.


Dias da Cunha catalogou ontem como “encenação” a polémica que terminou com a manutenção do sistema de nomeação dos árbitros para os jogos da SuperLiga e Liga de Honra. Segundo o presidente do Sporting, enquanto o futebol português permanecer entregue a “estes dirigentes, quer dos clubes, quer da Federação, quer da Liga, vai continuar a ser exactamente a mesma coisa” pois, preconiza, “os interesses instalados estão lá”.
E quem é que beneficia com esta permanência do sistema de nomeações? O líder leonino não tem dúvidas. “Tudo está a ser feito para continuarem a levar o Benfica ao colo”, assume Dias da Cunha, mostrando-se, todavia, optimista em relação às possibilidades dos leões: “Nós vamos ser tão melhores que vamos ganhar.” Utilizando um termo apropriado ao local onde se encontrava, Alcochete, Dias da Cunha definiu os observadores como “os forcados dos árbitros”, pois entende que, “enquanto as classificações forem o resultado das observações, os árbitros só obedecerão aos observadores”.

O “senil” Dias da Cunha, tal como havia acontecido com o processo Apito Dourado, voltou a mostrar dotes de adivinho.
Ninguém percebe porque raio se nomeou para um jogo destes o único árbitro de quem o Benfica se queixou na época passada (por pretensa culpa de um fiscal-de-linha!)… ou melhor, talvez todos o percebam, e para quem não o atingiu antes do encontro, aí está o próprio encontro…

Pelo menos agora foram feitas as pazes, nem que isso signifique a perda irremediável de um árbitro!
O lance que dá origem ao golo é no mínimo patético, mas bem pior foi uma (pretensa) falta assinalada sobre João Pereira, logo no recomeço da 2ª parte! Digna de um DVD, senhor Vieira…

Resta a consolação de que o Benfica não precisa de um nº 9 e de nº 10. Se o matador não for constantemente o homem de negro, os encarnados só precisam de um nº2, um nº3, um nº7, um nº9, um nº10, e mais uns 3 ou 4 para o banco!

Apenas mais uns reparos:

Quem terá dito ao João Pereira que ele era jogador de futebol? O Fyssas ou o Karadas fariam bem melhor a defesa-direito e foram dispensados…

Porque razão os guarda-redes do Benfica não saem da baliza nos cantos e livres cruzados para a área? Ontem o Vitória teve (apenas) 4 lances de perigo em todo o jogo, todos de cruzamentos, e em todos o Moreira ficou à sombra, debaixo da barra! Será normal?

O que se passa com Luisão? Depois do buraco frente à Juventus, ontem voltou a esconder-se, nunca estando no sítio certo nos lances aéreos do Vitória… não mostrem a cassete ao Real Madrid, para não esfriar o interesse!

Será que para a semana, em vez do Saviola para o ataque, vai ser apresentado o António Costa como árbitro do Académica – Benfica?

Jogo Particular

SportingCP 1 – 3 Atl. Madrid

Os leões levaram o refugo a Badajoz para defrontar uma forte equipa espanhola, que fez questão de jogar a sério. Dos únicos 5 utilizados frente à Udinese que viajaram com a equipa, todos jogaram apenas 45 minutos (Garcia nem isso…), com destaque para o facto de Beto e Polga terem jogado ambos a trinco, e de Tello ter voltado ao meio-campo.
A exibição foi miserável, com contornos de sado-masoquismo, e o resultado poderia ter sido bem pior, não fosse a exibição de Kezman, um verdadeiro flop!
Mesmo assim os golos espanhóis resultaram de duas falhas dos guarda-redes e de um fora-de-jogo de 3metros que o fiscal de linha esqueceu. O do Sporting chegou de penalty (no mínimo muito duvidoso!) e para além do golo, apenas de canto se falharam oportunidades claras.
Para esquecer.

O que não se deve esquecer são as razões que levaram o Sporting a aceitar este desafio e a denegrir a imagem internacional do clube. Se não havia jogadores para levar, não se jogava! Levar apenas 17 jogadores (com 1 dispensado e um júnior!) para um torneio de grande visibilidade, disputado frente a um histórico clube espanhol é inacreditável nos dias que correm…

Thursday, August 11, 2005


SportingCP 0 – 1 Udinese

O Sporting não esteve mal, mas como acontece muitas vezes frente a italianos perdeu injustamente.
Mesmo assim acho que deve ser dado mérito ao adversário, pois eles fizeram aquilo a que se propuseram, e fizeram bem. Remataram 3 vezes, tiveram 1 golo, e dois lances de muito perigo, um na barra e outro que só a qualidade do jogo de pés de Ricardo safou.
Ofensivamente o Sporting esteve suficientemente bem na construção de jogo, até na criação de oportunidades, mas foi uma desilusão na finalização, com zero golos em mais de 20 remates. Imaginar uma equipa na Champions que não marca um golo em mais de vinte remates é difícil…

O árbitro não ajudou. Teve dúvidas em 5 ou 6 lances e marcou um penalty duvidoso para os italianos (Garcia estava bem fora mas não era uma decisão fácil!), nunca assinalando nada a favor do Sporting. A placagem sobre Liedson foi do tamanho da Torre dos Clérigos.
Para complementar ainda engatou na manha italiana e foi apitando por tudo e por nada, mostrando amarelos que apenas serviram para promover interrupções.
Até nos fora-de-jogo os fiscais de linha estiveram fraquinhos, mas aqui até foi mais prejudicada a equipa italiana, que jogou sempre nos limites.

No Sporting fiquei surpreendido pela qualidade que Deivid mostrou, embora a garra de Sá Pinto tenha sido fundamental e o mais acertado tenha sido, sem dúvidas, Polga – exibição 100% segura.

Nos italianos brilhou De Sanctis, e não seria fácil brilhar outro.

Ao Sporting restam 90 minutos para mostrar que tem muito mais futebol que estes italianos. Não será fácil, mas eu ainda ACREDITO!

Friday, August 05, 2005

.
SportingCP 2 – 1 Sampdória

O Sporting venceu a Sampdória num teste positivo, mas longe de ser brilhante.
As muitas dificuldades encontradas mostram bem o que se vai passar frente à Udinese, e a paciência que será necessária, para já não falar da redobrada atenção defensiva, que será fundamental.
Defensivamente, Polga parece o defesa em melhor condição, os laterais parecem ainda muito lentos.
No miolo, gostei da exibição de Loureiro, mas continuo a achar que Custódio complementa melhor os centrais e dá mais estabilidade à equipa. Roca e Moutinho são a meu ver indiscutíveis. Douala jogará na esquerda, e Peseiro deverá escolher entre Sá Pinto, Martins e Deivid, quem apoiará Liedson pela direita. A meu ver será o sub-capitão o escolhido…


Com a Udinese, não sofrer golos será um óptimo resultado, nem que isso signifique um 0 – 0…

Wednesday, August 03, 2005

.
Discurso Directo

Entrevista de Alexandra Tavares Teles na “Sábado” a Costinha

ATT - Alguma vez se arrenpendeu de ter ficado no FC Porto depois do Euro 2004 e da saída de Mourinho ?

Costinha - Atentendo ao que se passou, fiquei um bocado arrenpendido. Perdi tempo. Havia vários clubes interessados, mas o FC Porto convenceu-me de que era uma peça importante para a equipa, um factor de estabilidade no balneário. Tinha um contrato muito bom, acima das possibilidades do mercado português e achei que devia ficar. Fiz mal.

ATT - Pelos resultados desportivos ?

Costinha - Por tudo. Nunca pensei que o FC Porto se destruísse em tão pouco tempo. Da equipa campeã europeia apenas ficaram 10 jogadores. A equipa ficou sem identidade, sem espírito. Na época anterior, era habitual ver 10 ou mais jogadores no mesmo restaurante sem ter havido qualquer combinação. Era um prolongamento dos treinos e dos jogos. Com tantas saídas e tantas entradas, cada um ficou para seu lado. Não consegui perceber que tipo de política foi esta nem o que se prentendia obter com ela.

ATT - O FC Porto apontou razões financeiras...

Costinha - Pelos valores a que venderam o P.Ferreira, o Deco, o R.Carvalho e ainda o Mourinho, não era preciso vender mais ninguém. Ia buscar o Seitaridis, um médio e pronto. Assim , sim: seria possível reorganizar a equipa, pô-la de novo a funcionar.

ATT - Terá sido uma opção de Del Neri...

Costinha - Não me parece que lhe tivesse sido dado o poder de desfazer equipas campeãs da Europa.

ATT - A sangria na equipa continuou com Fernández...

Costinha - Fernández construiu uma equipa e depois venderam-se mais jogadores.

ATT - Derlei foi dispensado por vontade de Fernández ?

Costinha - Isso é mais complicado. Para perceber a saída de Derlei é preciso encontrar quem está por detrás dela. Não admito que um grupo de adeptos venha criticar e enxovalhar, com faixas provocatórias, um atleta que deu ao clube aquilo que Derlei deu. E mais espantados ficámos quando ninguém do FC Porto tomou uma atitude. Pelo contrário. Essa gente, depois de insultar os jogadores, entravam nas instalações do clube com um livre-trânsito e ninguém fazia qualquer reparo. E mais: de dia ameaçavam os jogadores e á noite jantavam com dirigentes do FC Porto. Que pensa um grupo quando sabe que quem os insultam e ameaçam janta com dirigentes do clube ?

ATT - Conhece o presidente dos Super Dragões ?

Costinha - De vista. Ele diz-se profissional de claque e, pelo que aparenta, tem uma profissão rentável. Muitos jogadores do FC Porto não ganham para comprar Porches e ele tem um.

ATT - Acha que as claques serviram para branquear as decisões da direcção que falharam ?

Costinha - Não sei. Sei que tenho no meu corpo marcas que provam o que dei ao clube. Joguei lesionado e joguei infiltrado, fi-lo porque quis e por dedicação. Ganhei tudo o que havia para ganhar. E ainda andam a correr atrás de mim para me fazer a vida negra?! E os responsáveis, os directores não fazem nada ?

ATT - Foi ameaçado ?

Costinha - Sim, mas como tenho um grande amigo na cidade do Porto o caso teve um fim pacífico.

ATT - Qual foi a situação mais complicada ?

Costinha - Quando o FC Porto empatou na Madeira com o Nacional, os desacatos começaram logo no aeroporto do Funchal. As claques provocaram com insultos todos os jogadores, sobretudo o Raul Meireles, que tivera o azar de fazer um autogolo. Foi mesmo agredido fisicamente, com uma garrafa. Eu estava no Porto, a recuperar de um traumatismo craniano, mas soube o que se estava a passar porque telefonei a vários colegas, por solidariedade. E perante o que ouvi decidi ir ao aeroporto do Porto esperar a equipa. Levei dois amigos, para não levar dois guarda-costas, e tive razão, porque quando lá cheguei vi um bando de 60 ou 70 Super Dragões. Os jogadores foram os primeiros a sair do avião e a levar com aquela gente toda, com insultos, com agressões, enquanto os dirigentes ficaram dentro do avião, protegidos. Apenas Reinaldo Teles saiu. E a verdade é que aquela gente agrediu atletas. Na época passada, tudo foi permitido no FC Porto.

ATT - Nunca tentou falar com o presidente ?

Costinha - Não. Eles é que decidem. Quando acertam, dizem que acertam, quando erram não dizem nada. Tinhamos jogadores campeões da Europa a ganhar 5 escudos e outros sem nada ganho com ordenados muito superiores. E eu tentava ajudar falando com eles.

ATT - O mau comportamento da equipa nos jogos em casa esteve relacionado com este ambiente ?

Costinha - Foi uma das questões da época e a explicação. É muito simples: alguns jogadores não conseguiram jogar por medo. Estamos a falar de ameaças vindas de grupos organizados. Por mais que alguns de nós tentasse criar um ambiente desinibido, houve quem ficasse em pânico por falhar um passe ou uma jogada.

ATT - Foi por isso que jogadores como Luíd Fabiano renderam pouco ?

Costinha - Luís fabiano foi um dos que se deixaram apanhar por esse medo.

ATT - Estamos a falar das mesmas pessoas de quem Mourinho se queixou ?

Costinha - Claro. Estou por dentro da história, mas não a posso revelar sem autorização dele. No entanto, posso dizer que aquilo que fizeram ao Mourinho foi uma vergonha.

ATT - O que fez Pinto da Costa para evitar esses problemas ?

Costinha - Ele continua a ser um grande líder, mas nos maus momentos não basta dizer que a equipa perde porque o Derlei só gosta da noite ou porque o Costinha só gosta da noite. Bodes expiatórios, não. É fácil atribuir a destruição da equipa campeã do Mundo a Del Neri, é fácil atribuir o despedimento dele ás pressões dos jogadores, é fácil atribuir a Fernández o esvaziamento, em janeiro, da equipa, e é fácil convecer a massa associativa, através da colocação estratégica de meia dúzia de Super Dragões num estádio, de que a culpa é dos jogadores. E assim protege-se a direcção. Mas eu não sou dos que ouvem, vêem e ficam calados. A equipa e o espírito de Mourinho foram completamente destruídos.

ATT - Foi para Moscovo só por causa do dinheiro ?

Costinha - Quando deixar de pensar em ganhar títulos, vou escolher um clube mais pequeno para que não me chamem chulo.

ATT - Mourinho nunca o convidou ?

Costinha – Em Novembro de 2003, Mourinho disse-me que no fím da época seriamos campeões Europeus, que ele iria para um grande clube e perguntou-me se queria ir com ele. Disse que sim. Depois isso não se concretizou, mas não lhe quero mal por ter levado o Paulo, o Tiago e o Ricardo. Continuo a falar com ele regularmente.

ATT - E quando regressar a Portugal ?

Costinha - Todas as pessoas sabem que sou sportinguista desde pequeno. Quando regressei a portugal disse que gostava de jogar no FC Porto, onde queriam ganhar sempre tudo e os valores da familia eram defendidos. Recusei uma proposta do benfica, podia ter ido para o Sporting, mas escolhi o Fc Porto. Num degundo regresso, não sei o que acontecerá.

ATT - Aconselhou Miguel ao Dínamo ?

Costinha - Aconselhei. Como jogador e como homem. O Miguel não quis vir e acho que fez bem. É novo e tem outros clubes interessados para onde ir.


.
Foi em ceara alheia!

Estoril 0 - 1 SLBenfica

Assisti atentamente à primeira parte, e não adormeci por pouco. Não resiti à segunda, da qual só vi um resumo.
Se este Benfica joga com o 11 principal (foi Koeman que disse!) frente ao ‘poderoso’ Estoril e mostra tudo isto, desenganem-se os que pensam que dois avançados resolverão todos os problemas – a não ser que esses avançados sejam Káká e Adriano…

Monday, August 01, 2005

.
Pré-época

Sporting 2 - 0 V. Setúbal

Bom jogo particular, que serviu para rodar a equipa.
Mesmo assim o jogo foi bem fraquinho, com o Setúbal a desiludir (depois de ter vencido o Bétis…) e o Sporting a mostrar poucos argumentos, mesmo considerando a equipa jovem, e constituída maioritariamente por segundas escolhas.
Deu nas vistas Moutinho, um grande pequeno jogador, cada vez mais importante na equipa, e que sozinho carregou a equipa às costas, Nani, que tem tudo para ser a próxima grande estrela a sair da Academia, e Deivid, embora apenas a espaços, procurando claramente ajustar-se ao ritmo do futebol europeu.
Deu também para ver que Silva não pertence a este plantel, e que Paíto precisa de rodar 2 anitos no Covilhã.
Mas num relvado miserável (estará assim para a SuperTaça?!?) com um vento fortíssimo, era difícil dar para melhor…


FCPorto 1 – 2 Arsenal

Bom jogo do FCPorto, mesmo tendo perdido. Bela primeira parte, de peito aberto frente a uma das boas equipas do futebol europeu.
A equipa do FCPorto está definida, não restam dúvidas e curiosamente não haverá lugar para Costa, Valente, Ibson ou Quaresma, faltando agora saber se haverá espaço para o avô Baía e para o mágico Diego.
A grande pecha da equipa continua a ser, para mim claramente, os defesas laterais. Isto embora não ache que a melhor companhia para R.Costa na defesa seja Emanuel… mas tenho dúvidas que haja melhor no plantel!
Mas está aqui uma equipa que promete.


Vitória de Guimarães 1 – 1 SLBenfica

Num particular a doer, o Benfica fez um bom teste. Dominou de início, e foi melhor na primeira parte que o Vitória. Na segunda o jogo foi equilibrado até o árbitro se lembrar de que tinha levado cartões, e depois não esteve muito mal, sofrendo apenas um golo de bola parada.
Não se notam melhorias em relação à época passada, mas a equipa não está pior. Falta Miguel (insubstituível), mas Leo é mais dinâmico que Dos Santos, agora à alternativa a Petit no miolo, e as debilidades no ataque persistem!
Continuo a não saber o que acontecerá a este Benfica quando tiver que jogar sem Simão ou Geovanni, mas estou certo que Veiga e Koeman sabem disso melhor que ninguém…
As prestações de Flávio Meireles e Cléber já não surpreendem ninguém, mas estranha-se a violência de Manuel Fernandes. O jovem talento encarnado fez 4 ou 5 faltas duras, todas puníveis com cartão, e uma sobre Moreno de arrepiar… será que o jovem está a reagir mal com a concorrência de Beto, que os jornais todos os dias enaltecem, como se tratasse de um novo Maradona?